Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

MusicOpinião #4

 
As músicas de Vitorino por vezes podem soar (quase) todas muito semelhantes. Para uns isto é falta de originalidade, de criatividade, de etc... (se bem que ainda estou por perceber que consequências tem num músico a falta de etc.).
 
Eu, com esta mania de ter opiniões, tenho uma, que é a mesmo e outra. Explico.
 
Nalguns casos é de facto falta de originalidade, de ideias. Noutros, onde se inclui Vitorino, é coerência, é o explorar de uma mesma raiz musical, o canto alentejano, que se por um lado pode fazer com que resulte melodicamente semelhante em diversas músicas, por outro abre caminho ao que ali se dá mais importância, o canto. E se até a cantar Vitorino pode soar sempre "semelhante", admito, cada audição consegue ser contudo única e sempre agradável. Embala o ouvido, a alma e os sentidos.
A diferença está na reacção. Aos primeiros reajo com "mais do mesmo", a Vitorino reajo com "novamente delicioso".
 
E para quem estiver distraído, se o "cante" soar a falta de imaginação ou originalidade, procurem-nas nos arranjos, nos instrumentos. Aqui são tradicionais, ali usou guitarras eléctricas, acolá fez arranjos de jazz.
 
publicado por joao moreira de sá às 07:50
link do post | opinar | favorito

Arcebispo de Cantuária

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 43 anos. Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever. jmoreiradesa@gmail.com

links

arquivos

Setembro 2015

Junho 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

subscrever feeds

blogs SAPO