Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Opinião #68

 
Dizem-me que não votando não posso reclamar. Discordo. Não voto como no livro do Saramago, na esperança de que um dia toda a gente tenha vergonha de chamar democracia ao dar poder a um imoral para gastar quase 200 mil euros em pópós novos com o dinheiro dos meus impostos, sem que eu nada possa fazer e consequência nenhuma lhe advenha de tal esbanjamento de dinheiros públicos e atentado à moral pública. Não esquecendo os dignos antecedentes macaístas do indigno ministro da (in)justiça.
Enquanto forem destes, eu não voto. Em autogestão safávamo-nos melhor.
 
publicado por joao moreira de sá às 09:17
link do post | opinar | favorito
1 comentário:
De antiego a 13 de Outubro de 2010 às 13:05
E o voto em branco?

Comentar post

Arcebispo de Cantuária

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 43 anos. Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever. jmoreiradesa@gmail.com

links

posts recentes

Resistir à mudança ou ser...

Preocupam-me os velhos qu...

Durante quantos anos vão ...

Volta ao mundo em 80 espe...

"de Lisboa a Bruxelas são...

Tenho a casa a arder. Qua...

Saramago, o evangelizador

Ó senhores do Barclays, n...

O país tem furos!

As desculpas de Passos Co...

subscrever feeds

blogs SAPO