Quinta-feira, 15 de Abril de 2010

Email enviado à PSP

Trânsito na Avenida do Brasil - Lisboa

Exmos. Senhores,

Tenho casa na Rua José Lins do Rego, em Lisboa, a qual apenas tem acesso pela Avenida do Brasil no sentido ascendente (Campo Grande - Aeroporto). Devido às obras de repavimentação (presumo), este sentido encontra-se neste momento cortado ao trânsito. Ante a impossibilidade de chegar a casa, parei para pedir indicações ao agente que procedia ao desvio do trânsito para o Campo Grande, tendo ouvido, antes sequer de poder fala "não vale a pena parareS que ne TE vou dizer nada, segue!".

Ante a minha perplexidade pelo trato bruto e de todo desadequado a um agente da autoridade, insisti, tentei explicar que não tinha outra forma de chegar a casa a menos que me fosse indicado um trajecto alternativo. A atitude do a quem infelizmente (ou propositadamente) o colete reflector tapava a placa identificadora e que me recusou identificação sob ameaça de ordem de prisão foi virar-me as costas.

Eu como cidadão não aceito ser tratado assim por um agente da PSP e insisti novamente, parei o carro e pedi que me alguém me indicasse como chegar a casa ao que a resposta foi "mas estás a brincar comigo? isto está assim há 4 dias, já devias ter pensado nisso". Pois acontece que não só não sabia como não me parece que a resposta (para não falar no trato por "tu" pois não me recordo de ter andado na escola com aquele agente) seja solução pois ficar fechado em casa até as obras acabarem não me serve, nem a mim nem ao moradores das ruas José Lins do Rego e Afonso Lopes Vieira, pois neste momento todos temos o mesmo problema.

Não é normal que eu, cidadão, fique com medo de um agente da PSP e posso garantir-vos que a atitude e agressividade com que eu (e os demais automobilistas) fomos tratados e totalmente intimidatória, um claro abuso de autoridade.

E tudo isto para quê? Para por fim perceber - afinal parece que pensava, só não estava com paciência - e deixar-me vir para casa muito, mas muito indignado escrever este email. Não espero qualquer satisfação por parte da PSP pois infelizmente este tipo de trato para com o cidadão não deixa em mim qualquer esperança de uma atitude por parte das chefias para que estes detalhes (moradores afectados por obras, trato com o cidadão, etc.) venham um dia a ser corrigidos, pelo contrário, têm tendência a piorar.  Resta-me apenas a satisfação de o enviar e publicar em todas as redes sociais em que estou presente e onde sou lido - já estará no Facebook no momento em que alguém na PSP se dignar ler - pois a nós resta-nos a denúncia pública e o direito à indignação.

Mas depois não se admirem, porque quem não respeita também não é respeitado. Eu estou farto da prepotência dos agentes da PSP nas operações stop, em ocasiões como a que acima denuncio enquanto vejo a gatunagem operar livremente, o que parece não incomodar as autoridades portuguesas. A mim, cidadão honesto e cumpridos incomoda e muito. Se os agentes da PSP não forem os primeiros a mostrar civismo no trato e nas acções, que respeito merecem da nossa parte? Da minha nenhum, lamento.

João Moreira de Sá

publicado por joao moreira de sá às 14:47
link do post | opinar | favorito
4 comentários:
De @_aliek_ a 15 de Abril de 2010 às 14:57
Essa foi a atitude mais correcta a agir João.
Isso que sucedeu é abuso de autoridade, e infelizmente acontece muitas vezes.
De Marta Madalena Botelho a 15 de Abril de 2010 às 15:45
João, sugiro que remeta uma versão ajustada deste texto ao Senhor Provedor de Justiça. Pode fazê-lo através do site.
De joao moreira de sá a 15 de Abril de 2010 às 15:48
Obrigado Marta, vou fazer isso mesmo porque fiquei com o dia estragado, uma pilha de nervos e uma indignação que não quero calar. Não nos podemos continuar a calar sempre.
De Rod Bispo a 15 de Abril de 2010 às 16:47
Se calhar era segredo! Experimentaste fazer perguntas com palavras simples, monossilábicas ou gestos como os bichos? Como fazem com os gorilas... eles sabem pra cima de 200 palavras! Alguma delas há-de servir!

Quando for assim, dás-lhe um papel e uma caneta e pedes para ele fazer um desenho de como se sente. Ou podem jogar ao Pictionary até descobrires o caminho pra casa!

O importante é mostrares-te sereno! Hei-de te ensinar um truque que aprendi no Crocodile Dundee pra acalmar a fera!

Abraço amistoso!
Rod:)

Comentar post

Arcebispo de Cantuária

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 43 anos. Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever. jmoreiradesa@gmail.com

links

posts recentes

Resistir à mudança ou ser...

Preocupam-me os velhos qu...

Durante quantos anos vão ...

Volta ao mundo em 80 espe...

"de Lisboa a Bruxelas são...

Tenho a casa a arder. Qua...

Saramago, o evangelizador

Ó senhores do Barclays, n...

O país tem furos!

As desculpas de Passos Co...

subscrever feeds

blogs SAPO