Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

Agora, comecem por cima.

 

Cortar é nos mexias, mas frotas, nos boys, nas medeiros, no financiamento aos partidos (usando parte-zinha para fiscalização do financiamento público), é atender o telefone às 12.45 se o almoço é às 13, é formar, desburocratizar, simplificar, reorganizar, pôr a funcionar. É deixar o cidadão honesto em paz e ir realmente chatear os grandes - e pequenos - evasores fiscais, é trazer para o mercado a economia paralela em que todos vivemos um pouco e o estado finge nem ver.
Depois, peçam os sacrifícios, mais sacrifícios, todos os que sejam necessários, mas que sejam para pagar um futuro, não as vossas asneiras.

publicado por joao moreira de sá às 18:09
link do post | opinar | favorito

Arcebispo de Cantuária

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 43 anos. Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever. jmoreiradesa@gmail.com

links

posts recentes

Resistir à mudança ou ser...

Preocupam-me os velhos qu...

Durante quantos anos vão ...

Volta ao mundo em 80 espe...

"de Lisboa a Bruxelas são...

Tenho a casa a arder. Qua...

Saramago, o evangelizador

Ó senhores do Barclays, n...

O país tem furos!

As desculpas de Passos Co...

subscrever feeds

blogs SAPO